Vice-Prefeito João Batista participa de apresentação de ações das obras na BR-316

0

 

Com o intuito de promover uma mudança radical naquela que é considerada como a principal via de entrada e saída da capital paraense. O Governo do Estado do Pará deu início, nesta terça-feira (15), à obra de requalificação da BR-316. Inicialmente, os trabalhos – que se estenderão por um trecho de 10,8 quilômetros, do Entroncamento até Marituba, e envolverão também a implantação de pistas exclusivas para os ônibus, o chamado BRT Metropolitano – vão priorizar a remoção das interferências (como postes e redes mantidas pela concessionária de energia elétrica e empresas de telecomunicações) localizadas próximas aos pontos escolhidos para a construção das 13 estações de passageiros e das onze passarelas de pedestres.

Ainda na tarde de terça-feira (15), o governador Helder Barbalho, concedeu uma entrevista coletiva para apresentar as ações de planejamento das obras. A apresentação também contou com a participação do vice-governador do Estado, Lúcio Vale; do diretor-geral do Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano (NGTM), Eduardo Ribeiro; do secretário de Estado de Transporte, Pádua Andrade; do diretor-geral do Detran, João Guilherme Macedo; de representantes da Polícia Rodoviária Federal; de técnicos da Odebrecht, empresa responsável pela obra; do prefeito de Ananindeua, Manoel Pioneiro; do vice-prefeito de Marituba, João Batista, além de vereadores, deputados, empresários e sociedade em geral.

Segundo Helder, o Governo do Pará já está tomando uma série de medidas para minimizar os impactos que uma obra desse porte certamente trará para toda a população da Região Metropolitana de Belém (RMB). Neste primeiro momento, o governador autorizou que a Secretaria de Estado de Transportes (Setran), com recursos próprios do tesouro estadual, diminua o canteiro central da BR-316, alargando as faixas destinadas ao tráfego de veículos e, assim, permitir mais fluidez no trânsito no momento em que começarem as intervenções nas pistas de rolamento.

Além disso, foi determinado à empresa construtora, a Odebrecht, que evite trabalhos mais densos no período chuvoso, como a construção de valas ou implantação de drenagem profunda.

Texto: Agência Pará

Adaptação: Paulo Ricardo Rezende

Revisão: Joana Santos

Fotos: Agência Pará e Assessoria do vice-prefeito João Batista

COMPARTILHAR:

Os comentários estão fechados.


Acessibilidade
Acessibilidade