Marituba participa de debate na Alepa sobre resíduos sólidos

0

A Prefeitura Municipal de Marituba, através da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma) e da Secretaria Municipal de Segurança Pública e Mobilidade Urbana (Segmob), da Sessão Especial que discutiu alternativas para a Central de Processamento de Resíduos Sólidos de Marituba, realizada na manhã desta quinta feira, 17, pela Assembléia Legislativa do Estado do Pará.

A sessão, proposta pelo deputado Raimundo Santos contou ainda com a presença de representantes da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade, da comissão de meio ambiente da OAB Pará, da empresa Revita (responsável pelo processamento de resíduo sólidos), e ainda de empresários e de comunidades dos municípios envolvidos: Belém, Ananindeua e Marituba.

Nos discursos, a preocupação com o futuro ambiental da área onde se encontra o aterro, e em especial a comunidade do Quilombo do Abacatal, que é fronteiriça ao aterro.

A titular da Semma, Marília Nogueira, afirmou que a administração municipal cumpre seu papel de acompanhamento e fiscalização e cobra energicamente o cumprimento das condicionantes ambientais pela empresa responsável. A secretária informou que há alguns dias fez visita à Central e que observou que algumas condicionantes como a cobertura do lixo já estavam sendo cumpridas.

Marituba produz atualmente 51 toneladas por dia de lixo. A atual gestão – que já assumiu com a empresa em operação – implantou município um trabalho de conscientização ambiental e coleta seletiva.

O titular da Segmob, Coronel Costa Júnior, ressaltou que o projeto Escolas da Paz também tem foco na educação e conscientização pela preservação do meio ambiente, assim como o enfrentamento a violência no âmbito escolar.

Várias propostas como o fechamento da Central e o deslocamento do aterro para outro local mais afastado do meio urbano foram colocadas durante a sessão. Ao finalizar a sessão o deputado Raimundo Santos propôs para os próximos dias, uma reunião técnica entre os órgãos competentes e comunidades envolvidas para viabilizar uma alternativa para a questão.

COMPARTILHAR:

Os comentários estão fechados.


Acessibilidade
Acessibilidade